Sorgo-vassoura: entenda aqui para que serve

Nos artigos anteriores da série sorgo, falei sobre o sorgo granífero e o sorgo-sacarino. Hoje, é dia de conhecer melhor o sorgo-vassoura.

O vegetal da família Graminae é originário do continente africano e tem entre 2 e 3 metros de altura.

Veja muito mais sobre o sorgo-vassoura nos parágrafos a seguir…

Os imigrantes europeus trouxeram a planta para o Brasil, e logo ela se espalhou pelo país. O nome já dá uma pista do que se trata: sorgo-vassoura é um tipo que tem como característica principal o cacho em forma de vassoura.

A panícula é a parte mais utilizada do sorgo-vassoura. É dela que é feita a palha da vassoura de sorgo, ou vassoura caipira, mais conhecida em São Paulo. Na década de 1930, havia 17 fábricas de vassoura de sorgo no estado, e parte da palha era importada de países como Argentina e Itália.

Mas a indústria da vassoura caipira perdeu força com a chegada da fibra sintética, quando as vassouras de plástico foram tomando conta do mercado.

No entanto, a produção da fibra e a técnica de produção ainda resistem em algumas localidades, mantidas principalmente por membros mais velhos de famílias. É o que acontece também no Rio Grande do Sul.

Embora não existam dados precisos sobre a fabricação das vassouras de sorgo em território nacional, em Tietê (SP), por exemplo, a atividade é mantida por mão-de-obra tipicamente familiar.

A vassoura de sorgo é considerada um produto da “tecnologia verde”, o que tem feito aumentar a procura por ela. Fora isso, os preços da palha e da própria vassoura estão subindo há anos.

Realizado da primavera ao outono, é um cultivo alternativo, ou seja, pode ser feito em pequenas áreas; requer mão-de-obra considerável; e rende mais por área que culturas convencionais.

Entenda para que serve o sorgo-vassoura

sorgo-vassoura

O sorgo-vassoura é conhecido em algumas regiões do Brasil por melga.

Seus grãos são separados para semente; o restante é socado em pilão para alimentação de animais. Já a palha é classificada e amarrada em fardos, sendo o método de fabricação de vassouras essencialmente manual.

Além dos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, as vassouras de sorgo também são produzidas em Goiás.

Experimentos feitos por lá indicam que a cultura da planta é facilmente adaptada à região do cerrado. E tudo indica que o plantio do sorgo-vassoura pode ser um excelente substituto do coqueirinho.

Os pesquisadores estão desenvolvendo novas variedades, como o sorgo-vassoura IAC 10V60 Tietê, cujas panículas de palha flexível alcançam 60 cm. Ou seja, são perfeitas para a confecção de vassouras caipiras, pois quanto mais longa a palha, melhor durabilidade ela apresenta.

Para os pequenos e médios produtores rurais, a vantagem do cultivo de sorgo-vassoura é sua agregação de valor.

usos-do-sorgo-vassoura

O custo de produção de cada vassoura caipira é de R$6,00 a R$10,00, sendo que cada produto leva 600 gramas de palha de sorgo. O que justifica o interesse por materiais como esse.

A variedade IAC 10V60, por exemplo, é capaz de gerar aproximadamente 1,5 toneladas de palha seca por hectare – e pode ser cultivada em todas as regiões do Brasil.

Uma vantagem extra é que o sorgo-vassoura é uma planta rústica, não sendo necessária a aplicação de defensivos agrícolas em seu plantio.

E ainda: suas panículas costumam ter boa qualidade mesmo quando cultivadas em solos marginais com moderado suprimento de nutrientes, além de suportar bem monoculturas repetidas em uma mesma área.

Vantagens e utilidades não faltam quando o assunto é sorgo-vassoura…

No próximo post da série, você vai conhecer o sorgo forrageiro. Até lá!

Show Comments

No Responses Yet

Leave a Reply